sábado, 4 de dezembro de 2010

Lista T sai vencedora da DG/AAC

Tal como indicava a sondagem elaborada em conjunto pel' A Cabra, a  Ruc e a tvAAC, a lista T saiu vencedora na noite de eleições.
As contagens começaram pelos votos para o Conselho Fiscal (CF/AAC) e o total apurado foi de 398 para a lista A, 604 para a lista R, 4144 para a lista T, 509 brancos e 20 nulos, num universo de 5841 votantes. Apesar da evidente diferença de votos, foi requisitada a abertura dos 166 envelopes a fim de apurar quantos membros da lista R integrarão o Conselho Fiscal, uma vez que estes são eleitos pelo método d’Hondt. Diogo Pereira, presidente da Comissão Eleitoral da AAC, diz que “já começámos a enviar os nomes dos envelopes para a Secretaria Geral, a fim de serem verificados, esperamos conhecer os resultados Segunda ou Terça-feira no máximo”.
Para a Direcção Geral e mesa de Assembleia Magna foram apurados 346 votos para a lista A, 550 para a lista R, 4299 para a lista T, 470 em branco e 140 nulos. Estes resultados significam que não haverá necessidade de efectuar uma segunda volta. A lista T sagra-se assim vencedora destas eleições com esmagadora maioria.
À medida que eram divulgados os resultados para o CF/AAC, os presentes iam-se manifestando e acusando a lista T de “caciques”, devido à grande diferença de votos conseguidos. Apesar disto, quando se soube os resultados finais para a DG/AAC e mesa de Assembleia Magna, não houve qualquer tipo de manifestação e a sala começou a ser abandonada.
Ainda a noite mal tinha começado e já o Diário de Coimbra avançava com uma notícia dando como vencedora da Direcção Geral a lista T, com Eduardo Melo como presidente e com supostas declarações do próprio. Confrontado com a notícia, Diogo Pereira diz que “a Comissão [Eleitoral] não pode controlar o que os candidatos dizem ou deixam de dizer à comunicação social, seja isso mais ou menos correcto, cabe a cada um avaliá-lo”. As declarações não puderam ser confirmadas junto de Melo, uma vez que o candidato vencedor chegou à Cantina dos Grelhados bem depois da divulgação dos resultados das eleições. Dos três candidatos só Sílvia Franklim, da lista R, esteve presente na sala durante todo o escrutínio. Henrique Paranhos, da lista A, chegou pouco antes do final da contagem dos votos para a DG/AAC e até lá, recusou-se a prestar declarações.


Diana Felício
Grupo 1
notícia

Sem comentários:

Enviar um comentário