sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A Missa do Galo e o Natal... continuam juntos?


Na época em que nos encontramos, o Natal, a missa do Galo é algo que simboliza esta data principalmente  o nascimento de Jesus.

Esta missa realiza-se à meia noite do dia 24 de Dezembro e tem como hábito a oração em família, os cântigos, as narrativas  bíblicas e várias memorias do passado… para continuar a relembrar tudo o que foi feito para trás e continuar a transmitir a todas as pessoas o verdadeiro valor e significado do espírito Natalício.
Esta missa foi introduzida nas cebebrações do Natal pelos católicos no ano 400, visto que até essa altura a única celebração da Igreja era a Pascoa.
Diz a lenda que a expressão “Missa do Galo” é especifica dos países latinos surgindo como lenda ancestral one o galo cantou só uma vez.
Hoje em dia, o apetite da ceia, a curiosidade de abrir os presentes falam mais alto que os velhos costumes e por isso é importante manter a tradição.
É notória a crise que se assiste relativamente às Igrejas tradicionais e a adesão por parte das várias famílias já não é a mesma.. pois o consumismo muitas vezes os consome por inteiro. Actualmente muitas pessoas pensam, principalmente as crianças, que o Natal é apenas o desembrulhar dos presentes, a comida em cima da mesa, todos os doces se fazem… mas tudo isto vai contra aquilo que desde sempre foi considerado o Natal.
As idas à missa, a pequena consoada, o espírito católico nas celebrações natalícias, os pequenos gestos, o não consumismo excessivo, a união e amor entre família e amigos foi considerado o verdadeiro significado e valor do dia 25.
O Natal, é então considerado uma festa profunda e rara onde as pessoas oferecem presentes umas às outras, e onde, por vezes  o amor entre família e a convivência vai desaparecendo. 

                                                                                                                   Ana Namora
                                                                                                                           R1

Sem comentários:

Enviar um comentário