sábado, 24 de dezembro de 2011

Opinião: O "diabrete" dos Globos está de volta


Ricky Gervais foi considerado persona non grata pela sua performance na 68ª edição dos Globos de Ouro. O humor negro já característico ao humorista não caiu bem à maioria dos presentes e, nos dias posteriores à cerimónia, choveram críticas que, à partida, colocariam Ricky fora da apresentação dos Globos de Ouro. Todavia, e apesar do desagrado de muitos, Gervais recebeu uma nova proposta da Associação de Imprensa Estrangeira (HFPA) para que fosse, pela terceira vez consecutiva, o anfitrião da entrega dos Globos de 2012.
Apesar da hesitação do actor britânico perante o convite, a HFPA confia no talento e à vontade de Gervais e anuncia que “a combinação de irreverência e espontaneidade” do comediante fazem dele o apresentador ideal de uma produção como os Globos.
É claro que as reticências colocadas pelo cómico a esta proposta foram justificadas. Conhecido e aclamado por muitos, Ricky Gervais não tem papas na língua e as suas piadas baseiam-se na sátira de certas facetas e comportamentos de outras celebridades. Os comentários feitos nos últimos Globos de Ouro a personalidades como Johnny Depp e Angelina Jolie, na altura protagonistas de um dos filmes nomeados “O Turista”, Cher, protagonista de “Burlesque”, John Travolta, Tom Cruise e Charlie Sheen, que não estava presente cerimónia, chocaram os presentes e indignaram os demais, mas não foram insultuosos, são a verdade envolta no humor tão próprio de Gervais.
Ricky não foi o primeiro a brincar com os problemas de alcoolismo e drogas de Charlie Sheen, com certeza não foi o último a criticar o filme onde duas das maiores estrelas de Hollywood - Depp e Jolie - fracassaram. Um bom humorista também não perde uma oportunidade de fazer de Cher a protagonista das suas piadas (devido à sua figura icónica e perfil singular). Tom Cruise e John Travolta foram “vítimas” do acaso por terem interpretado dois gays e serem ambos cientologistas e isso poder ser associado a um dos filmes nomeados.
Será realmente necessário conotar as piadas de Ricky Gervais como ofensas verbais? Será que ninguém compreende que, enquanto apresentador, tem de entreter o público socorrendo-se, por isso, da representação e do humor? Até que ponto as suas palavras terão sido realmente ofensivas?
Um dos visados, Johnny Depp, está, actualmente, a trabalhar com o comediante de 49 anos na cómica série “Life’s Too Short”, portanto não parece haver nenhum ressentimento da parte do actor americano, ao contrário daquilo que os tablóides anunciaram.
Desta feita, Gervais apresentará “pela terceira e, certamente, última vez”, como o próprio assevera, a cerimónia dos Globos de Ouro. Uma “decisão difícil” repleta de “prós e contras” que, no entanto não o fizeram desistir. Apesar de considerar que não sabia se “conseguiria melhorar em relação ao ano passado”, o actor decidiu voltar ao palco dos globos para calar os “idiotas que disseram que eu jamais seria chamado novamente”.
Assim, Ricky Gervais será novamente o anfitrião da tão aclamada “noite dos globos” e promete mais humor e mais piadas “não acho que alguém tinha o direito de se sentir ofendido, mas sentiram. Este ano vou assegurar-me de que as ofensas sejam completamente justificáveis”.

Sem comentários:

Enviar um comentário