terça-feira, 9 de novembro de 2010

Crónica


Quando o medo se transforma em preconceito

“Vagabundos’’, ‘’criminosos’’, ‘’pessoas marginais e traiçoeiras’’, “gente rude, suja e preguiçosa” são os sinónimos que atribuimos aos ciganos no dia-a-dia. A sociedade identifica-os como o povo “mais indesejado”, atribuindo-lhes as responsabilidades de fome, tráfico de droga, peste, doença e de todos os outros males. Como muitos dizem: ‘’são propagadores do analfabetismo que circulam por aí em busca de vítimas’’.
Esta minoria será provavelmente um dos grupos étnicos mais marginalizados e a descriminação continua a ser a maior dificuldade à sua integração na sociedade como cidadão de direito absoluto. Quando as comunidades ciganas se-fixam em terrenos baldios, as autoridades e as populações tentam expulsa-los , porque não são bem-vindos. E estes, novamente, vêem-se obrigados a deslocar-se para outra freguesia a procura de mais sorte. A sorte também faltou à minha vizinhança cigana, que todos os dias enfrentam insultos e provocações dos moradores do ‘’bairro de luxo’’ (segundo o diário ‘’As beiras’’) da Quinta da Portela, pois na opinião dos residentes ‘’um condomínio fechado de luxo não é para os ciganos’’. A verdade é que , ja há tempo que nao se vêem carros estacionados na rua onde reside a familia da etnia cigana, os pais acompanham os filhos até ao portão, os maridos as suas mulheres, as janelas não deixam entrar nem um raio de sol. Tudo para se proteger dos ciganos, que aos seus olhos, constituem uma ameaça para os moradores. São um grande  perigo ,também, para o que diz respeito a venda dos restantes apartamentos que até agora ainda se encontram desabitados. São poucos os clientes que conseguiram escapar. Foi, até, contratada uma segurança privada que faz a vigilância já há dois meses (para proteger as pessoas residentes das crianças ciganas, cujas idades variam entre 3-6 anos?). Agora pergunto-me: os bairros sociais construidos ao lado dos prédios de luxo, ou mesmo a ocupação dos condomínios pelas pessoas de todas as origens  nao deveriam promover a igualdade???  Pois, o certo é que estas situações só têm salientado ainda mais as diferenças socioeconomicas existentes.
É visto que, os ciganos são indesejados em Portugal e a ideia que permanece deles jamais irá permitir a sua integração na nossa sociedade, quanto mais nos bairros de luxo , cujos residentes fazem tanto esforço para expulsar a familia cigana da sua moradia. A roupa, cor de pele e estrato social ainda são temas abordadas com medo e apreensão. O pior é quando o medo se transforma em preconceito, discriminação, racismo e xenofobia...
Quantas vezes não ouvimos dos ricos as frases como por exemplo: “Isso é coisa de pobre’’?? Muitos dizem-se ‘’agarrados’’ de forma fanática ao que são as origens e os costumes dos ciganos, mas esquecem-se logo ,assim que começam a conviver com eles.
            Para compreender essa falsidade, basta assistir ao funcionamento do acesso às discotecas ,em que a entrada aos ciganos ou pessoas que tenham caracteristicas semelhantes a estes é sempre recusada. E se há um que escape ao controlo, ouve-se logo do vigilante: ‘’ Liga o detector, para ver se vêm armados!!’’. É esta a realidade! Por mais que se diga que, no nosso país, a discriminação tem resultados bastante reduzidos as provas mostram o contrário!
 Esta disparidade entre as classes sociais tornou-se algo impossivel de me passar ao lado no dia-a-dia. Durante o regime nazi os ciganos tiveram o mesmo tratamento que os judeus, meio milhão foi eliminado. Hoje, das formas de discriminação mais significativas a discriminação com base na origem étnica ocupa o segundo lugar. Sera que estamos a caminhar para trás?????
O facto é que  Portugal é uma nação com muitos preconceitos!

Viktoriya Golub
Grupo 2







                                                                                                         

                                            




















Sem comentários:

Enviar um comentário