terça-feira, 9 de novembro de 2010

Despedimentos no “Expresso”

   Entre 15 a 20 trabalhadores do jornal “Expresso” correm risco de despedimento, anunciou ontem a administração do semanário. Entre os trabalhadores em causa, está um número indefinido de Jornalistas. O sindicato dos Jornalistas (SJ) intervém e exige a suspensão dos despedimentos.
   Em comunicado, a administração do “Expresso” justifica os despedimentos como uma tentativa de redução dos custos para aumentar os lucros. O Grupo Impresa pretende realizar a redução dos trabalhadores através de abordagens selectivas para “rescisões por mútuo acordo”.
   De acordo com os dados comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os valores das receitas globais da Impresa dos últimos três trimestres têm crescido assim como a venda das publicações e produtos associados.
   O SJ contesta a decisão do Grupo em seleccionar e catalogar os trabalhadores como “dispensáveis”e afirma, em comunicado, que “não aceita que os trabalhadores sejam sacrificados em operações de emagrecimento de quadros para crescimento dos lucros.” Manifesta, ainda, solidariedade para com os trabalhadores e exige à Administração da Impresa que suspenda os despedimentos.


Por Sandra Portinha
Fonte: o sítio do Sindicato dos Jornalistas

Sem comentários:

Enviar um comentário