terça-feira, 30 de novembro de 2010

Jornalistas e Jornalismo

São várias as instituições dedicadas à Comunicação e à Investigação, em geral, e ao Jornalismo e ao Jornalistas, em particular. A Obercom e o Sindicato dos Jornalistas portugueses são algumas das instituições que podem ser de enorme utilidade para quem de alguma forma está ligado à profissão de jornalista. Nesse sentido ficam aqui algumas propostas de sites e instituições que nos podem fornecer úteis ferramentas e que devem ser tidas em conta, não só no percurso académico – como fontes de recursos e aprendizagens – mas também no profissional – enquanto meios de elucidação sobre um trabalho que tem valores, direitos e deveres que devem ser respeitados.

Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS)
Uma instituição de ensino superior ligada à “investigação e à formação avançada em matéria de ciências sociais” (ver site). O foco do seu estudo é a realidade das actuais sociedades, em especial, a portuguesa e para todas as outras que de alguma forma têm laços culturais ou históricos com o nosso país.
Entre outras linhas temáticas a instituição centra-se na: formação do mundo contemporâneo; as mudanças sociais e a acção individual no contexto da família, estilos de vida e escolarização do contemporâneo; no estudo da cidadania e das instituições democráticas.
Os seus investigadores, ligados a diferentes áreas - como a História, a Sociologia, a Antropologia Social e Cultural ou a Psicologia Social - tem na sua maioria um elevado grau académico - em 2008 estimava-se um número de 70. Recebe ainda cerca de 100 estudantes pós-graduados.
Com estatuto de “Laboratório Associado” desde 2002, o ICS publica pesquisas em livros e revistas nacionais e internacionais. Os seus métodos de investigação são diversos e vão desde os estudos documentais até aos métodos experimentais.
Clara, é aposta desta instituição de ensino superior na metodologia científica para produzir informação de qualidade que possa ser divulgada e que simultaneamente satisfaça diversos públicos.
Na Internet é possível aceder a sem número recursos e informações.

Site a consultar:


Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas – CENJOR
Tendo como objectivo principal melhorar a qualidade da informação que circula nos meios de comunicação do nosso país, em geral, o CENJOR aposta na formação de profissionais em diferentes áreas da comunicação social: imprensa; rádio; televisão; fotografia; multimédia; desenvolvimento pessoal. São formações destinadas, principalmente, a jornalistas estagiários e profissionais já activos, podendo ser uma forma de complementar e aprofundar os conhecimentos adquiridos a nível académico e/ou profissional. Além disso, o CENJOR ministra seminários e promove outras acções, nomeadamente, através de protocolos com outras instituições é possível maior especialização no jornalismo económico, jornalismo financeiro, jornalismo sobre assuntos europeus, entre outros.
Para ingressar em algum curso de formação contínua do CENJOR é condição, fazer parte ou ser colaborador de algum órgão de comunicação social. Para integrar os ateliês – de rádio, de imprensa, jornalismo Web, etc. – os candidatos têm que ser obrigatoriamente ou finalistas ou recém-licenciados em Comunicação.
A inscrição nos cursos do Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas pode ser feita on-line. O perfil dos candidatos será, posteriormente analisado e pela instituição, que ficará responsável por contactar os admitidos.
Uma excelente oportunidade para quem quer aprender mais sobre, fazer jornalismo.

Site a consultar:


O OberCom - Observatório da Comunicação
A Obercom é uma associação sem fins lucrativos com “uma equipa multidisciplinar e dinâmica com o objectivo de reforçar a posição do OberCom enquanto núcleo de investigação, reconhecido pelos seus associados, parceiros institucionais, academia e grande público” (ver site). Esta foi fundada com o objectivo de facilitar o processo de recolha e tratamento da informação relacionada com os Média e a Comunicação e é “encabeçada” por um nome de vulto da Sociologia da Comunicação: Gustavo Cardoso.
Tendo como princípios fundamentais,” a relação com os seus públicos a relação com os seus associados e o rigor da informação científica produzida”, a Obercom procura também a criatividade e a inovação, para produzir e analisar conhecimentos ao nível da comunicação, do jornalismo, da publicidade e média.
No site é-nos possível aceder facilmente aos mais variados recursos e publicações – a maioria em formato “pdf”- que podem ser de grande utilidade a quem estuda Comunicação.
Entre os associados da Obercom conta-se o Grupo Media Capital, o Grupo Cofina e Zon Multimédia.


Sindicato dos Jornalistas
Este sindicato visa integrar todos os jornalistas que trabalham em qualquer meio de comunicação. É totalmente independente do Estado ou de qualquer outra instituição pública ou privada e “luta intransigentemente pela defesa dos direitos, individuais e colectivos, e pelo escrupuloso cumprimento dos deveres, em particular deontológicos, dos jornalistas, pela defesa intransigente do seu direito de acesso à informação, em nome do direito dos cidadãos a serem informados com rigor e seriedade” – (capítulo I, artigo 1º, ESTATUTOS DO SINDICATO DOS JORNALISTAS).
O Sindicato dos Jornalistas (SJ), considera membros não só os jornalistas em actividade, como também os desempregados, os reformados e os que por motivos de doença ou outros justificáveis (como a docência ou formação profissional nas áreas do jornalismo ou das ciências da comunicação) ficaram com actividade suspensa.
Este sindicato tem como primazia defender os direitos e as condições de trabalho dos seus sócios. Contudo existem deveres a ser cumpridos pelos associados do SJ, como sejam, o cumprimento do “Código Deontológico e o Estatuto de Jornalista”, a denúncia de casos de violação do código de trabalho, o zelar pelos interesses colectivos do associados e o pagamento de quotas.
O jornalista ao integrar este sindicato tem também a vantagem de usufruir de uma série de serviços e apoios disponibilizados a nível da saúde, do lazer, da cultura, da formação e do ensino.

Para saber mais, consulte o site:



ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social
A ERC foi criada com o objectivo fulcral de supervisionar e regular todos os órgãos e instituições que executam actividades ligadas à Comunicação Social. Esta é autónoma a nível administrativo e financeiro e está organizada em diferentes secções - Conselho Regulador, Direcção Executiva, Conselho Consultivo e Conselho Fiscal Único.
A liberdade de imprensa e da informação – definidos na lei. A autonomia face ao poder político-económico. O zelar pela transparência na comunicação social. A protecção do interesse do público. A fiscalização dos conteúdos difundidos nos Media. Todos estes são interesses indispensáveis da ERC, daí que sejam disponibilizados uma série de dados para também nos consciencializar – de alguma forma - acerca do sistema e da situação vivida no mundo da Comunicação Social.

Com facilidade é possível aceder ao site:

Renato Neves Sapateiro


Sem comentários:

Enviar um comentário