quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Vizelenses esquecem a crise e festejam reveillon

       A crise é uma palavra que já entrou no dicionário de todos os portugueses, inclusive dos vizelenses. No entanto, são muitos os que vão passar o reveillon fora de Portugal Continental. As ofertas são diversificadas, havendo preços para todo o tipo de carteiras.

       Contrariando a conjuntura económica do país, as vendas de viagens para a passagem de ano subiram 10% em relação ao mesmo período do ano passado, revela a Agência Financeira.
       Segundo Rita Silva, chefe da agência “Gomes Alves” de Vizela, vendem-se muitas passagens aéreas só para pessoas que vão visitar as suas famílias; vendem-se estadias em hotéis em Portugal ou em Espanha que tenham festas de fim de ano e depois vendem-se também viagens para países mais quentes, como o Brasil. Paulo Faria, responsável pela agência “Almeida Viagens” de Vizela, concorda com Rita Silva, acrescentando Cabo Verde e Caraíbas como destinos também bastante procurados.
       Paulo Faria indica que os seus principais clientes são casais entre os 30 e os 50 anos, de classe média baixa a alta e alguns de classe alta e salienta que “os clientes prestam atenção aos preços e até fazem comparações com outras agências”. Rita Silva considera que “agora toda a gente está mais atenta ao que se está a pagar, isso é regra geral, não é só nas viagens”.
       A verdade é que os vizelenses não fecharam a carteira à viagem de reveillon, mas estão mais atentos ao custo da mesma.
       Para a agência “Gomes Alves” de Vizela a crise quase que não se faz sentir, pois segundo a sua chefe “vai-se vendendo”. No entanto, Rita Silva defende que às vezes “não é a questão de se vender menos, se calhar até se vende mais, só que as margens de lucro reduziram e é por isso que acabávamos por ter menos lucro no final”.
       A nível nacional a situação é semelhante. Os portugueses têm como destinos preferidos o Brasil, Cabo Verde, Madeira, Paris, Londres e Amesterdão. Este ano, Marrocos, Tunísia e Dubai também despertaram a atenção dos portugueses.
       Para dentro ou para fora do país, a realidade é que a crise não afecta as viagens de final de ano, estando já os lugares quase todos vendidos.



Fontes:
Agência Gomes Alves de Vizela
Agência Almeida Viagens de Vizela
Jornal Sol
RTP
Agência Financeira



Ana Teixeira
Grupo 4

Sem comentários:

Enviar um comentário