terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Arte Urbana - Duplo Conceito

Duplo Conceito

            Um monte de rabiscos traçados em paredes ao acaso fruto de um sentimento repentino de pintar algo. Uma teia de emoções disfarçada por um momento de expressão artística que se traduz numa imagem carregada de significado.

          Para muitos graffiti é sinónimo de lixo, consequência de puro devaneio da mente de jovens delinquentes, mas pode rever-se em algo muito mais puro e profundo. Pessoas com faixas etárias mais elevadas têm tendência a carimbar este acto como punitivo e a ligá-lo quase de imediato a um crescimento e educação impróprios. No entanto, o que deve estar presente na sua mente e não está, é o facto de haver um propósito e por vezes uma mensagem por de trás desta atitude.

          Creio que no cenário citadino, as carruagens dos comboios são sem dúvida algo que ganha exponencialmente valor quando está sob a mão dos graffiti, através da transformação de linhas contemporâneas frias e impessoais num equilíbrio quase perfeito entre o horizonte urbano e a arte em spray.

           Ainda assim, seja num impulso por divertimento sem qualquer significado ou numa atitude premeditada com cunho psicológico, a forma de expressão deve obedecer às leis da arte. Expressões reivindicativas e declarações controversas muitas vezes escolhidas para pincelar paredes são automaticamente assinaladas de poluição e transformadas em alvos de apressada remoção.

          As regras devem ser aplicadas e permitir que a mensagem continue presente em espaço público para a contemplação de todos. Quando alterada esteticamente para os parâmetros considerados “aceitáveis”, avança de um simples rabisco com conteúdo constrangedor para ser apelidada de arte urbana no seu melhor. O conteúdo mantém-se, mas aos olhos dos cidadãos toda a apresentação da frase influencia no seu julgamento. Se for uma linha com uma má frase é punitivo, se for essa mesma frase desenhada segundo as regras, com alguma cor talvez, para muitos olhares o choque já não existe.

          É bastante ridículo assistir ao ser humano a iludir-se a ele mesmo quando permite que um desenho feito com técnica e cuidado esconda integralmente a mensagem que está nele incutida e engane a mente. No entanto, ainda existem pessoas com uma mentalidade extremamente actual e moderna que agem como verdadeiros dinossauros ao apontar o dedo a uma belíssima forma de arte, esteja ela dentro ou fora das regras.

Soraia Santos
Grupo 2

Sem comentários:

Enviar um comentário