quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Greve Nacional dos Transportes Públicos

 Greve dos transportes públicos altera o funcionamento normal da vida quotidiana dos portugueses


Depois da paralisação durante toda a manhã de segunda-feira da rede de Metropolitano de Lisboa, amanhã irá ser a vez da Carris com paragem dos transportes marcada entre as 10h e as 14h, no Porto a STCP (Sociedade de Transportes Colectivos do Porto), irá parar entre as 9:30h até ás 14horas. A Transtejo que faz as travessias entre Barreiro/Seixal e Lisboa também irão parar em três horas por cada turno. Já quinta-feira será a vez da CP (Comboios de Portugal) de aderir à paralisação, porém um representante da empresa declarou que na quarta-feira já se iriam sentir algumas supressões nos transportes ferroviários. A CP será mais drástica na greve e apenas irá garantir cerca de 25% dos comboios previstos. A empresa não vai garantir transportes alternativos. Por fim no final da semana, sexta-feira será a vez da Soflusa, a rodoviária da Beira Litoral e a Rodoviária d'Entre Douro e Minho.
 Segundo a PSP, estas paralisações afectam o trânsito congestionando-o, devido aos utentes resolverem utilizar os seus próprios meios de transportes. Também os transportes alternativos aos grevistas, são sobre lotados e vêem-se impossibilitados de cumprir horários.
 A greve que tem como motivo revindicação os cortes nos salários das empresas públicas, vem complicar a vida de muitos utentes que usam os meios de transporte para se deslocarem todos os dias no país. Impõe-se a questão de saber se esta paralisação irá obter resultados positivos para as empresas mas também para os utentes que se tratam dos maiores prejudicados destas medidas de revindicação.




por:  Patrícia Correia

Sem comentários:

Enviar um comentário