sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A trama dos generalistas



O Verão acabou e, com a chegada do Outono, o tempo cinzento e chuvoso não deve tardar a aparecer. Para além de nos obrigar a retirar os casacos e camisolas de malha quentes e confortáveis do nosso armário, a vontade de sair de casa, para enfrentar o vento e frio, acaba por morrer. Ora, isto significa dispensar mais do nosso tempo dentro de casa, em frente ao computador ou televisor, embrulhados numa manta.
Muitos pegam no seu disco rígido que contém todas as suas séries e filmes favoritos e gostam de vê-los, um por um, até se fartarem. Mas há dias em que só apetece deitar no sofá, agarrar no comando e ligar a televisão, começando o tão habitual, a alguns, zapping.
O que podemos então assistir na televisão portuguesa nestes negros dias? Para quem não possui as dezenas de canais pagos que alguns serviços oferecem tem de se contentar com os quatro canais nacionais mais conhecidos entre os portugueses. Com a sua programação dirigida a todos os públicos, a RTP1, SIC e TVI são os canais com maior audiência televisiva. Blocos informativos preenchem a hora das refeições e programas de entretenimento as manhãs e tardes, com os habituais “incentivos” do possível prémio monetário para quem se dá ao trabalho de fazer uma ou mais chamadas telefónicas para o número tantas vezes indicado ao longo do programa. O serão é maioritariamente dedicado a telenovelas melodramáticas e algumas madrugadas ao cinema, com filmes tantas vezes transmitidos, ou a algumas séries estrangeiras que até têm qualidade e são de mérito reconhecido internacionalmente. Os canais generalistas presenteiam-nos com a rotineira e, por vezes, degradante programação semanal. Com os fins-de-semana aproveitados para distrair os portugueses com mais programas de entretenimento e filmes, sendo as noites de domingo da SIC e TVI reservadas para os programas de (incrível) elevada audiência, o consumo desta invariável programação, apesar de todas as supostas renovações e novidades que publicitam, parece não decrescer. É facto que para quem só tem os quatro canais não tem muito por onde escolher e acaba por cair nesta teia de programas televisivos.
Há, no entanto, uma pequena escapatória que é, infelizmente, o canal com menos share televisivo. Podendo ser visto como um canal generalista alternativo, a RTP2 possui uma programação que difere totalmente dos outros três canais, sendo constituída por um vasto leque de programas culturais, indo desde a ciência à arte, passando pelo desporto (que não o futebol) e o ambiente, incluindo blocos dedicados aos mais pequenos.
A RTP2 oferece ao telespectador programas culturais, informativos e educativos não só dedicados a todo o tipo de público, mas também a alguns em particular. Com a maioria das noites dedicadas a séries estrangeiras de sucesso e programas humorísticos, este canal acaba por se tornar indubitavelmente uma fuga aos de fácil consumo.
Para os mais exigentes em termos de consumo cultural, quando limitados a quatro canais televisivos, a sua escolha é deveras pequena. Para remediar só mesmo aderindo a um dos serviços pagos para usufruir de um leque de opções variado. Mas para quem, pelo contrário, não procura puxar pela massa cinzenta e vê televisão para matar um pouco do seu tempo e abstrair-se dos seus problemas os canais generalistas servem perfeitamente para esse fim.

Por Paulo Bastos
Redacção 1

1 comentário:

  1. Título adequado e com impacto: 4 - O titulo desperta a curiosidade do leitor.

    Organização e estrutura da notícia: 6 - Óptima estrutura do artigo. Nada mais a apontar.

    Estilo jornalístico: 5 - Comentaste algo de forma pertinente e com vocabulário variado e nada repetitivo.

    Uso apropriado das fontes: 5

    Ortografia e gramática: 6

    Pertinência/ originalidade: 6 - um assunto já muito debatido mas conseguiste dar um novo olhar, um tanto mordaz e até com algum sarcasmo.


    Vanessa Mota

    ResponderEliminar