quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Mas afinal onde surgiu a Latada?


A tendência é associar a Latada ou Festa das Latas e Imposição das Insígnias a uma festa de abertura do ano lectivo com o principal propósito de receber e integrar os estreantes nesta nova vida de cultura e tradição académica – os caloiros. Esta é por excelência uma semana de diversão e irreverência, repleta de concertos entre outras actividades como a Serenata ao caloiro ou o tão badalado Cortejo onde os caloiros desfilam munidos de latas até ao Mondego para serem baptizados pelos padrinhos “em nome da Praxe”.
Certo é que, para iniciar devidamente alguém na vida académica é necessário respeitá-la mas acima de tudo compreendê-la, o que nos leva impreterivelmente à tradição e onde tudo começou. Ora, as Latadas remontam ao século XIX, não como as conhecemos hoje mas sim por ocasião do encerramento do ano lectivo, em Maio, e como tal os estudantes festejavam fervorosamente o seu término pela Alta de Coimbra. É neste contexto que surgem as latas, assim como todo e qualquer outro objecto que produzisse ruído, serviam para festejar.
Latada de 1966 - retirada do blog "Guitarra de Coimbra "
Mas se nos anos 20 as latadas vinham em seguimento da “Queima das Fitas”, a partir dos anos 50/60 a Festa das Latas vinha marcar a chegada dos responsáveis que fazem de Coimbra a “Cidade dos Estudantes”. Ainda assim, o formato não era totalmente idêntico ao actual, uma vez que cada Faculdade organizava a sua Latada e desfilava em dias diferentes. Já o programa passava pelos mesmos pontos essenciais: a serenata, a cerimónia da imposição das insígnias e o cortejo.
A partir de 1979, devido à restauração da praxe e à necessidade de unificação do programa festivo (com fundamento no aumento exponencial de alunos à época), o cortejo passa a decorrer, tal como actualmente, num único dia juntando todas as Faculdades. Este modelo instaurado sob apreciações penosas de antigos estudantes, surgiu inicialmente como “Semana de Recepção ao Caloiro” e só mais tarde como a genuína “Festa das Latas e Imposição das Insígnias” que até hoje faz palpitar os corações de quem respeita e vive o espírito académico. De facto, são os melhores tempos das nossas vidas, e há que aproveitá-los ao máximo exaltando o orgulho de estudar na cidade onde a Tradição faz sentido.

Eduarda Barata - R2

Sem comentários:

Enviar um comentário