terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Jobs, o que viria a seguir ?

Steve Paul Jobs nasceu em São Francisco, Califórnia no dia 24 de Fevereiro de 1955 e morreu a 5 de Outubro de 2011 nos Estados Unidos. Foi adotado por um eletricista californiano, Paul e pela sua mulher, Clara, que o educaram sob as suas fracas condições económicas. Quando fez 17 anos, ingressou na universidade Reed College em Portland, Oregon mas, após 6 meses, vê-se forçado a abandonar a universidade, devido aos elevados custos.

Aos 20 anos, Jobs e o seu amigo Steve Wozniak fundam a Apple, empresa iniciada na garagem dos seus pais e apenas composta por dois elementos mas, que em dez anos, se transforma numa empresa com 10.000 colaboradores.

Nessa altura, por diversos desentendimentos, Jobs é despedido da Apple, mas, devido a seu espírito empreendedor e lutador, volta a fundar o que também iria entrar na história, a NeXT e compra a Pixar. É também por volta desta época que ele cria o computador Macintosh.

Em 1991, Jobs casa-se com Laurene Powell com quem forma família. Pouco tempo depois, é-lhe diagonosticado um cancro no pâncreas e trata-se numa clínica californiana

Apartir dos conceitos básicos de software, Steve Jobs desenvolve um novo computador, dando-lhe o nome da sua filha, Lisa, como forma de homenagem. Lisa foi o primeiro produto, de uma família de produtos, que consagrou a empresa Apple no mercado de computadores pessoais.

Jobs criou, em 1989, a NeXT Corp. e comprou a Pixar Animation Studios da Lucasfilm, em 1986. Com Steve Jobs à frente da Pixar - e em parceria com os Estúdios Disney – produziram-se filmes como “Toy Story”, “Vida de Insecto”, “À Procura de Nemo” e “Monstros S.A.”, alguns deles premiados com um Óscar.

Mais tarde, Jobs renovou o mercado com o iMac, um computador com estética moderna. Outra inovação que talvez tenha sido o maior salto para a Apple foi o iPod, aparelho reprodutor de músicas em formato MP3 capaz de armazenar, em uma de suas versões, mais de 15.000 músicas.

Jobs revolucionou também o mercado da música com a criação do iTunes, programa de reprodução e organizão de músicas, com a particularidade de se conseguir comprar qualquer música através do programa.

Em Janeiro de 2007, Jobs apresentou um novo aparelho, uma junção das funções de um iPod video com um telemóvel e um navegador portátil para a internet, o iPhone. Este aparelho possui, entre muitos outros recursos, uma tela panorâmica sensível ao toque, um disco rígido de 4 ou 8 GB, câmera de 2 megapixels, Bluetooth, WiFi, EDGE, bateria interna não-removível e recarregável, com autonomia aproximada de 8 horas de conversação, 6 horas de uso de internet, 7 horas de reprodução de vídeo e mais de 24 horas de reprodução de música, além de aproximadamente 250 horas em standby.

Entre muitos lançamentos à frente da Apple, o iPad foi o seu último, este ajudou a elevar a marca e o faturamento da empresa. Mas, apesar do sucesso, a 24 de Agosto de 2011 , Steve Jobs afastou-se para tratar da sua saúde.

Infelizmente, poucos meses depois, Steve Jobs morre. Como já foi referido no texto acima, desde 2004 que ele sofria de cancro no pâncreas, fez algumas intervenções cirúrgicas, entre as quais, um transplante de fígado.

No dia de seu falecimento, a direcção da Apple disponibilizou um e-mail para receber condolências e homenagens ao falecido fundador da empresa, e publicou a seguinte nota:

“A Apple perdeu um gênio criativo e visionário, e o mundo perdeu um ser-humano incrível. Aqueles que tiveram a sorte de trabalhar com Steve perderam um querido amigo e mentor. Steve deixou para trás uma companhia que só ele poderia ter construído e seu espírito será sempre a base da Apple”.

Nuno Pinto, r1

Sem comentários:

Enviar um comentário