quinta-feira, 15 de março de 2012

Trabalho Sexual é Trabalho


“Das 9 às 5” é um documentário realizado por Rita Alcaire e Rodrigo Lacerda. A legalização das profissões do sexo foi o mote para o avançar do projecto que contou com um total de dois anos e meio de produção. São centenas os trabalhadores a quem a lei não os protege. A sociedade, a cultura e as morais sobrepõem-se às questões legais. Os realizadores deram voz aos trabalhadores do sexo, permitiram que expusessem as suas razões e concederam o espaço para que começasse o fim da discriminação a estes trabalhadores que lutam para pagarem impostos.
No dia 12 de Março de 2012, os realizadores estiveram presentes na Escola Superior de Educação de Coimbra, para uma exposição oral sobre alguns aspectos do documentário. Os estudantes de Comunicação Social que tiveram a oportunidade de visionar o vídeo por completo, puderam, no fim da sessão, esclarecer todas as dúvidas. Também o Posts de Pescada esteve à conversa com os realizadores. (Ver a entrevista a baixo) 

Apresentação do documentário "Das 9 ás 5" na ESEC

Perceber que profissões existiam, qual o enquadramento legal, acompanhar marchas, falar com associações, analisar os conteúdos publicados pelos Media sobre o assunto, conhecer o dia-a-dia, as rotinas e as questões laborais foram alguns dos trabalhos necessários no que respeita a toda a pré-produção e produção. 
O produto final, depois de visualizado, gera imenso debate e levanta muitas questões. Segundo os realizadores, o documentário transmite “várias mensagens” para que o público fique a pensar o que pode ainda ser feito e não incumbir uma mensagem rígida.
Porque o público desta sessão era constituído por futuros trabalhadores da área da Comunicação Social questões mais técnicas surgiram no decorrer da conversa. O método de trabalho que adoptaram foi ir para o terreno sem guião, verificar o que havia em campo. A opção pela não utilização da voz off prendeu-se pelo facto de não pretenderem um narrador “que sabe tudo e que quer impingir uma mensagem” segundo Rita Alcaire.
O cansaço, questões de direitos de autor a nível musical e pessoas que não deram a cara foram alguns dos obstáculos e aspectos negativos que se atravessaram no processo de construção de “Das 9 às 5”.





Por: Isabel Oliveira e Tiago Rentes

Sem comentários:

Enviar um comentário