terça-feira, 23 de outubro de 2012

A idade acompanha a diversão

Maria Antunes, 67 anos, natural de Alvorge, Ansião
 mas, actualmente, reside em Condeixa-a-Nova.
Nos tempos que se vive o espírito académico, mais precisamente, a festa das latas, não são só os estudantes que presenciam esta festa. A comunidade sénior também gosta de presenciar estas festividades. É sabido que muito do público que assiste ao cortejo é “jovem”, apesar de serem, mui-tos deles, mais conservadores, não deixam de vir ver os estudantes e toda a sua euforia.
Apesar de muitos virem ver os seus netos há muitos que apenas se dirigem à Praça da República por curiosidade de ver os cortejos, tanto da Latada como da Queima. 







Posts de Pescada: Qual a sua opinião da Festa das Latas – Imposição das Insígnias?
Maria Antunes: É uma festa diferente, em relação à Queima das Fitas, também costumo ir ver há muitos anos, gosto muito de ambas. Esta festa, na minha opinião, protagoniza exclusivamente os caloiros e as suas vestes, tão animadas que costumam ser. Ainda sou do tempo em que a Festa das Latas era menos dias. Para mim o dia mais importante é o cortejo.

PP: Costuma ir ver?
MA: Sim, vou ver esta festa porque gosto de ver o modo como os padrinhos vestem os seus afilhados e como, naquele dia, Coimbra para, para ouvir, o barulho das latas, e ver como os caloiros vão vestidos, muitos deles invocando sátiras ao estado do País, que este ano se viu muito, em relação a anos anteriores. Vi várias frases, uma delas fora “Minnie – Salários”, brincaram com aquele desenho animado de uma hamster, chamada minnie.

PP: Porque se dirige a Coimbra para presenciar esta festa dos estudantes?
MA: Primeiro porque vivo em Condeixa-a-Nova, a 12km de Coimbra, e sempre vivi o espirito desta cidade e dos estudantes trajados e dos seus cortejos, algo que o meu filho incutiu-me também.
E segundo, sempre gostei da tradição de Coimbra daí gostar de vir ver estas festas.

PP: Há quanto tempo vem ver a Latada?
MA: Venho a esta festa há 16 anos, antes só mesmo pelo ambiente em si e por gostar de ver estudantes trajados e outros com todo o tipo de vestimentas e mais alguma, e passados dois anos o meu filho entrou na Universidade, no curso de Economia, o que me levou a vir ver ainda com mais entusiasmo.

 

por: Cristiana Peres e Soraia Pinheiro





O artigo está escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Sem comentários:

Enviar um comentário