quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Teoria vs Prática: Preparação para o Futuro



Nos dias de hoje, apostar na formação superior já não se trata apenas de uma opção mas de uma necessidade, sendo a entrada no mercado de trabalho, cada vez mais, uma preocupação dos jovens universitários. Em alternativa ao Ensino Superior Público, existem diversas instituições de ensino privado que têm vindo a apostar na formação técnica e prática, entre as quais a ETIC (Escola Técnica de Imagem e Comunicação). Das nove áreas de estudo - Jornalismo, Televisão, Fotografia, Som e Música, Digital, Eventos, Design, Moda, Espetáculo - este estabelecimento de ensino engloba um total de 33 cursos profissionais.
André Leiria

O Posts de Pescada conheceu André Leiria, de 19 anos, estudante da ETIC que ingressou este ano no Ensino Superior e optou por, em horário pós-laboral, conjugar a licenciatura com a formação profissional prática que esta instituição privada oferece.

Posts de Pescada: Que licenciatura e que curso profissional frequentas?
André Leiria: Estou a tirar a licenciatura em Artes do Espetáculo na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e o curso noturno de Técnico de Vídeo na ETIC.

P.P: Porquê o interesse em estudar na ETIC?
A.L: À partida eu já sabia que queria fazer um curso anual nesta escola pela da sua reputação e por ser muito boa a nível técnico. Ao receber o horário da faculdade deste semestre percebi, pela facilidade que tinha, que conseguiria conjugar os dois cursos, pelo que decidi inscrever-me.

P.P: E como consegues conjugá-los monetariamente? Sabendo que pagas propinas da licenciatura e que o curso profissional é pago em 9 prestações de 390€…
A.L: Penso que isso seja uma questão um pouco pessoal… Mas posso dizer que a minha família tinha algum dinheiro de parte para a minha educação.

P.P: Em que pode este curso ser-te útil no futuro?
A.L: Acho que pode ser muito útil visto ser uma escola bastante prestigiada e ter um índice de empregabilidade muito alto.

P.P: O que pode a ETIC oferecer-te que a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa não possa?
A.L: Sem dúvida conhecimentos práticos. Eu ainda nem sei, sinceramente, se vou acabar este curso na faculdade ou se vou mudar para o ano, mas sei que quero terminar o curso de Técnico de Vídeo.

P.P: O interesse em frequentar este curso profissional está, de alguma forma, relacionado com o facto de o Ensino Superior Público não estar a responder às tuas expetativas?
A.L: Não, porque quando eu me inscrevi na ETIC não sabia que a faculdade não ia corresponder às minhas expetativas.

P.P: Se decidires terminar a tua licenciatura, consideras que no futuro poderás ter mais ofertas/hipóteses de emprego por esta oportunidade de conjugar os dois cursos? Ou neste momento é mais importante para ti aprender algo do teu interesse mesmo havendo a possibilidade de não teres emprego quando acabares?
A.L: Para ser sincero, penso que o curso na faculdade não me vai levar a lado nenhum. Acho que está mal organizado e, na verdade, vou lá sem vontade nenhuma. O que eu queria mesmo era estudar cinema, que é apenas uma pequena parte do curso da faculdade, e as cadeiras nem sequer têm nada de prático, ao contrário do que acontece na ETIC em que essa componente está sempre presente. Nos três anos da licenciatura em Estudos Artísticos só tenho três cadeiras relacionadas com cinema: História do Cinema, Cinema e Literatura e Cinema em Portugal. Sendo a área em que eu vou querer estudar para o resto da minha vida considero que esta formação está aquém dos meus objectivos. No cinema não há muito a questão do "chegar ao mercado de trabalho" visto ser uma área artística e fracamente apoiada em Portugal, o que conta é o “know how” e a capacidade de inovar e aprender. Não será com um curso com três cadeiras teóricas de cinema que eu irei estar preparado para isso de certeza.

por: Catarina Parrinha

O artigo está escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Sem comentários:

Enviar um comentário