terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Em busca de um sonho

Hugo Barbosa, concorrente ao Ídolos.
Hugo Filipe Branco Barbosa (HB), de 21 anos, residente em Águeda, concorreu à última edição do programa Ídolos emitido pela SIC. A sua participação no Talent Show ficou marcada pelo comentário do jurado Manuel Moura dos Santos, que atribuiu a este concorrente o nome de “Jack estripador das canções” depois de este ter cantado as músicas “Ai se eu te pego” e “Hit the road Jack”. O candidato não passou da fase de castings deste concurso mas revelou-se satisfeito com o resultado da sua prestação no programa. 
 
Posts de pescada (PP): O que te levou a
concorrer ao Ídolos?
HB: Essencialmente, a aventura, a experiência e também a procura de novas oportunidades no mundo da representação.

PP: Quais eram as tuas expetativas em
relação ao programa?
HB: Não tinha muitas expetativas. Pensei sempre não passar na fase do pré-casting (seleção feita pela produção), mas fiquei contente com o resultado, pois passei à fase com os 4 jurados. Neste momento, as minhas esperanças foram muito poucas porque estava consciente que dificilmente passaria à fase seguinte, a do teatro.

PP: Como foi estar perante o painel de jurados do Ídolos?
HB: Foi divertido. Não tive qualquer tipo de nervosismo quando me encontrei perante eles. Meteram-me logo super à vontade e isso também ajudou.

PP: O que sentiste quando ouviste o jurado Manuel Moura dos Santos chamar-te “Jack estripador das canções”?
HB: Na altura fiquei um pouco magoado com as palavras dele porque se trata de um nome muito forte, mas já contava com os comentários fortes que ele pudesse vir a fazer. Acabei então por aceitar essas palavras, pois se não fosse a música
que levei e o que o Manuel Moura dos Santos disse, não tinha tido qualquer tipo de impacto.

PP: Quando concorreste ao programa não temeste entrar para a lista dos “cromos”?
HB: Não, porque quando me inscrevi no Talent Show já sabia que o mais provável era ficar na lista dos “cromos” (risos).
 
PP: Após a transmissão do programa na televisão, como foi a abordagem das pessoas que passavam por ti na rua?
HB: A abordagem foi muito positiva. Quando passava na rua, havia muitas pessoas que vinham perguntar-me se era eu o rapaz do “Ai se eu te pego” ou então o “Jack Estripador das canções”. Alguns até começavam a cantar a música, outros vinham pedir autógrafos e fotografias ou então comentários como “És Grande” ou “És o meu Ídolo”.
Na Internet e nas redes sociais as opiniões já se dividiram um bocado, pois existem aqueles que me amam e os que me odeiam, mas bem ou mal o que interessa é que falem de mim (risos).

PP: Estavas à espera que a tua atuação tivesse tanto impacto nos telespectadores?
HB: Sinceramente, não.

PP: Porquê?
HB: Pensei sempre que agarrassem nas filmagens e nem sequer as passassem na televisão. Acabei por ficar surpreendido quando vi a minha prestação ser usada pelo Telejornal e publicidade durante uma semana antes da estreia. Fiquei mesmo surpreso. Quando dei por mim, tinha o meu facebook coberto de publicações e pedidos de amizade e isso demonstrou que os telespetadores tinham gostado de mim.

PP: Atualmente as pessoas ainda te reconhecem quando passam por ti?
HB: Sim reconhecem, e muitos ainda pedem para tirar uma fotografia ou então um autógrafo.

PP: Apesar de não teres passado no casting, cantaste na 1ª gala dos ídolos. Como foi essa experiência?
HB: Para mim, foi como se tivesse ganho o programa (risos). Não passei no casting mas já tive o privilégio de pisar o palco do Ídolos e sentir aquele friozinho antes de cantar perante as câmaras. E chegar lá e receber todo aquele carinho e boa disposição do público é mesmo muito bom.

PP: O que pretendes fazer futuramente no mundo da música?
HB: Representação é mais o meu forte, por isso não tenho grandes projetos para o mundo da música, mas se surgirem projetos nesse ramo, aceito!

PP: O que retiraste desta experiência como concorrente deste Talent Show?
HB: Neste tipo de programa, não é só a voz que conta, mas sim a presença em palco ou numa sala de casting. A personalidade e o “style” também são fatores que contam muito.
13. PP: Se houver oportunidade, voltarás a concorrer a este programa ou a algum semelhante?
HB: Sim, se tiver oportunidade volto a concorrer ao Ídolos ou até mesmo num Reality Show, quem sabe um Secret Story 4!
 
Para rever o casting de Hugo Barbosa:
 
 
 
Por: Fabiana Ferreira e Mélanie Oliveira
 *Artigo escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Sem comentários:

Enviar um comentário