quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Lanchando pela Baixa

Lanchando pela Baixa
           
              A designação de “Baixa” foi desenvolvida com a separação entre a “Alta”, onde vivam a Nobreza, o clero e, mais tarde os estudantes, e a “Baixa”, predominada pelo comércio, artesanato e bairros ribeirinhos. Hoje, ambos são locais privilegiados da cidade, onde se misturam serviços (Banca, seguros e comércio), séculos de história, habitações, cultura, espaços verdes e de lazer.
            Contudo, esta zona, ao longo das últimas décadas, tem vindo a perder o seu protagonismo para áreas mais hodiernas da cidade como a renovada Solum em Santo António dos Olivais ou para grandes zonas comerciais dominadas pelas grandes superfícies.
            Ainda assim, novas iniciativas têm vindo a surgir objetivando a reabilitação da já degradada Baixa Coimbrã. Por outro lado, os mais famosos e mesmo lendários estabelecimentos da zona mantêm-se intactos conseguindo ainda dar alguma vida e movimento ao local. Provas disto mesmo são as pastelarias “Toledo”, “A Brasileira” ou mesmo a inovadora “The World Needs Nata - NATA Lisboa".


Fig.1 Baixa de Coimbra


Café A Brasileira

O Café A Brasileira de Coimbra situa-se na Rua Ferreira Borges, na famosa Baixa de Coimbra. Abriu em 1928 e albergou tertúlias históricas com personalidades como Zeca Afonso, Miguel Torga ou António Arnaut. Zeca Afonso escreveu “Os Vampiros” na sala superior d’A Brasileira. Em 1995 o café foi encerrado e viria a reabrir 17 anos depois, a 1 de Março de 2012 com uma nova imagem e com a adoção do slogan "O melhor café é o d'A Brasileira”.
Atualmente, vivendo em tempo de crise, os funcionários reconhecem que as vendas já não são como eram, “nem todos os dias são bons”. No entanto, continuam a ser uma das mais conceituadas pastelarias de Coimbra, tendo como especialidade a trouxa da Brasileira.
Recebe turistas de todo o mundo, principalmente na época do verão. 

Fig.2 Fachada d'A Brasileira

Fig.3 Interior d'A Brasileira

 Fig.4 Interior d'A Brasileira

Fig.5 Pormenor do candeeiro d'A Brasileira

           
Pastelaria Toledo

        A pastelaria “Toledo” é uma das mais famosas e movimentadas pastelarias de Coimbra. Esta conta com uma localização privilegiada (Largo da Portagem) que, só por si, oferece aos seus clientes uma belíssima vista sobre o rio Mondego. Esta acompanhada de deliciosos bolos e doces tornou-se a companhia das solarengas tardes dos seus clientes.
            O seu nome é proveniente de uma célebre lenda coimbrã, a “Lenda das chaves do Castelo” ou a “Lenda de Martins de Freitas”. Esta conta que após a deposição de D.Sancho II, sendo o governo do reino confiado ao seu irmão, infante D.Afonso. D.Sancho refugiou-se no Reino de Castela, mais propriamente em Toledo. Reza a lenda que Martim de Freitas, alcaide do Rei e fiel a este, recusou-se a entregar o Castelo de Coimbra ao regente e suportou, devido a isso, um longo cerco, iniciado em 1246. Em 1248 recebeu noticias sobre do seu soberano, obteve um salvo conduto e conseguiu dirigir-se até Toledo para confirmar a noticia recebida. Lá chegado e aberto o caixão, Martins de Freitas depositou as chaves do Castelo dentro do caixão, retirando-as em seguida para entregar ao novo soberano, D.Afonso.

Fig.6 Fachada Pastelaria Toledo

Fig.7 Montra da Pastelaria Toledo 

 Fig.8 Interior da Pastelaria Toledo


The World Needs Nata - NATA Lisboa

Por último, chegamos à que muitos consideram, a mais inovadora pastelaria em Coimbra, “Nata Lisboa Coimbra”. Esta baseia-se num conceito desenvolvido por uma empresa lisboeta denominada “NataLisbon” que se resume num criativo slogan, “The world needs Nata” (O Mundo precisa de Nata). Como não poderia deixar de ser, a sua especialidade é o aclamado Pastel de Nata.  
          O grande objetivo por de trás deste conceito é a difusão dos sabores de Lisboa por todo o Mundo, principalmente no que toca ao pastel de nata. Não existem quaisquer dúvidas que este está a ser cumprido visto que a Nata Lisbon já se encontra, não só por todo o país como também em Paris, Madrid e Barcelona.


Fig.9 Fachada da The World Needs Nata

Fig.10 Pasteis de nada da The World Needs Nata

Fig.11 Pormenores na The World Needs Nata


POR: Daniela Ramos
Diana Rodrigues
Mariana Reis
Micaela Falcão
Tiago Santos
Rui Correia

Sem comentários:

Enviar um comentário