quinta-feira, 6 de novembro de 2014

O Processo Eleitoral de Moçambique em Coimbra

           

No dia 15 de outubro de 2014, realizou-se Eleições Eleitoral de Moçambique, em Coimbra. Dália David, pessoa que me concedeu a entrevista, foi o ponto focal do Secretariado Técnico da Administração Eleitoral na Zona Centro de Portugal (Coimbra).



 Sendo o ponto focal do Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE), qual foi o seu papel no processo Eleitoral?

Foi necessário trabalhar como os pontos focais em alguns distritos para facilitar o trabalho e para haver maior proximidade com a comunidade Moçambicana.
O processo Eleitoral teve duas fases: primeiro o Recenseamento Eleitoral que teve início a 16 de março à 14 de abril, onde se inscreveram 108 Eleitores. O segundo teve  início com a Educação Cívica e formação dos membros da Mesa de Voto.
Atividade dos pontos focais era de mobilizar os Eleitores, falar de importância, fazer a logística, manter contactos com as identidades locais ( por exemplo: Câmara Municipal e a GNR).

 Como decorreu o processo Eleitoral?

 Correu muito bem. Embora as pessoas viessem de longe. Mas fizeram o esforço para votar. Muitos Eleitores não puderam votar porque migraram para outros países ou regressaram para Moçambique.

 Qual é a proveniência dos Eleitores?

 Além de Coimbra, os Eleitores vieram de Viseu, Lousã, Figueira da Foz, Mealhada, Pedrogão, Covilhã, Guarda e de Castelo Branco.

 Onde e quando se realizou o processo de votação? 

 Realizou-se no Salão Nobre da Câmara Municipal de Coimbra, no dia 15 de outubro de 2014.

Para os Eleitores não residentes em Coimbra, o STAE disponibilizou algum meio de transporte para eles se deslocarem ao local de votação?

 Sim. Não só como houve apoio da parte da Empresa Visa Beira. Visto que tem muitos trabalhadores Moçambicanos.

 A Mesa de Voto abriu e encerrou a que horas?

Abriu às 10 horas e encerrou às 21 horas. A Mesa de Voto era composta por cinco elementos. Tais como: O Presidente, Vice-Presidente, 1º Escrutinador, Secretária e o 4º Escrutinador. No Caderno Eleitoral estavam inscrito 108 Eleitores, destes, 65 votaram e 15 regressaram para Moçambique, e os outros devido ao trabalho e da distância não estiveram presentes.


Lucinda Julião


Sem comentários:

Enviar um comentário