terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Colecionismo





















Segundo o dicionário da língua Portuguesa, a palavra colecionismo significa “atividade de quem faz coleção”, mas quem são estas pessoas? Quem são os colecionadores e que histórias têm para contar?
É curioso o modo como alguém se pode deixar levar por uma paixão, objetos que levam a uma dedicação afincada e constante, pedaços de história ou representações do gosto pessoal.
Os colecionadores partilham o bichinho desconcertante que fazem com que, aquilo que aos olhos de outro pode não representar nada, se torne uma preciosidade, um tesouro de valor incalculável.


As casas de alguns colecionadores tornam-se verdadeiros museus, paredes forradas de cor, forradas de história. Um espelho do fascínio dos seus donos, a sua identidade.
Identidade essa acompanhada de histórias, características de quem procura algo para si. Certo é que para cada peça uma história mais, ou menos, atribulada, um carinho especial. Não é o valor monetário que importa, apesar de em alguns casos este ser um valor elevado, é o sentimento, o prazer que o colecionador tem em guardar os seus tesouros. Luís Costa, caricaturista de profissão, colecionador por paixão, fala-nos da sua história e dos seus pertences, de forma intimista, estivemos à conversa com o caricaturista.



A história de Luís está nas paredes, está nos móveis, está em baús. A sua vasta e variada coleção encontra-se por toda a casa, reflete a sua essência de pessoa bem-disposta e bem-humorada. O colecionador deixou-nos à vontade para ver, fotografar, experienciar até, o ambiente único de sua casa.


Para além de Luís, falámos também com Jorge Coelho, um fanático por numismática com uma colecção de dois tipos de moedas: moedas do euro (de todos os países e comemorativas anuais de 2€) e moedas de diversos países. No verão de 2016 fez um Interrail que veio surpreende-lo com uma pequena relíquia para a sua colecção, encontrada no campo de concentração de Birkenau. Num pequeno texto, lido por Cátia Soares – aluna do 3º ano de Comunicação Social - Jorge deu-nos a conhecer a história que marcou o seu verão e a sua colecção.



São milhares de objectos, cada um com um significado ou uma história que pode não representar valor algum para muitos, mas ser tudo para outros. Tudo pode ser coleccionado, desde pequenos selos, a peças de filmes com um metro de altura. É como um “bichinho” ou gosto que se adquire pelo desejo de ter, de comprar, de obter, de possuir. Existe um universo por trás destes objectos e só quem faz parte dele é que entende a paixão e dedicação pelo colecionismo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário