terça-feira, 16 de novembro de 2010

Crónica

Ser-se Jornalista




Ser jornalista, o que significa? Hodiernamente defende-se que um jornalista deve limitar-se apenas a relatar factos, ser imparcial e não opinar sobre qualquer notícia ou situação do país. Saber escrever bem não é sinónimo de um bom relato. A linguagem simples e concisa, perceptível a qualquer público, é aquilo que a sociedade exige da comunicação social.

Quando vemos televisão ou lemos um artigo de jornal, podemos observar que existe um cuidado especial em ser directo e simples. Isso sim, é um bom profissional.

Como estudante de comunicação social, trabalho e esforço-me no curso, lutando por um lugar “ao sol”, para me vir a definir como uma boa profissional na área. Mas ao fazê-lo acabo por chegar à conclusão que não passo de uma máquina produtora de notícias, imparável sem botão “off”. Dedico-me intensivamente ao que faço e à maneira como o faço para conseguir singrar. Mas aí é que aparece o valor. Se fosse fácil, qualquer um seria um bom jornalista.

Se não existissem jornalistas nem meios de comunicação social, não existia informação nem o conhecimento dela. Somos importantes para transmitir e fazer chegar a toda a gente o que se passa no país e no mundo. Mas nos dias que correm, a transmissão da informação tornou-se cada vez mais rigorosa e nós tornamo-nos cada vez mais mecanizados na sua produção. A opinião não é bem-vinda, pois pode, de qualquer maneira ou feitio, influenciar quem nos ouve ou cita.

Vivemos num país em que a liberdade de expressão é total. Mas a meu ver, não é bem assim que funciona. Cada vez mais tudo aquilo que se diz ou escreve é analisado nos seus prós e contras e segue regras rígidas da forma como deve ser feito.

O trabalho de um jornalista, esteja ele na área televisiva, radiofónica ou em imprensa, é um trabalho exigente que puxa por quem o faz. Se esta luta constante por destaque não der prazer ou gozo, não estamos a ter o desempenho adequado.

Ser jornalista, o que significa? Significa uma paixão e uma vida dedicada ao público, à informação. Sem amor à profissão torna-se complicado fazer um bom trabalho. Significa o seguimento de um protocolo tão bem definido que não dá margem para erros. Mas errar é humano.

Helena Gonçalves

Grupo 5

Sem comentários:

Enviar um comentário