terça-feira, 16 de novembro de 2010

Crónica

“Olhar o jornalista”






Ser jornalista é ser curioso. Enaltecer a sua curiosidade mais do que em qualquer outra profissão. E o que é ter a profissão de jornalista? O jornalista vive para a profissão pois a sua profissão é viver histórias reais que têm de ser encontradas não inventadas. É viver o incerto a cada dia e em cada momento. Saber lidar com o imprevisto e ter coragem de o enfrentar.

Imparcialidade é uma das características a valorizar num jornalista. Este é, antes de mais, um mediador de informação, que, sem distorcer factos, relata histórias actuais sem opinar ou intervir.

Para se ser jornalista é necessário ter-se uma responsabilidade capaz de sugar de cada facto noticioso, o seu valor informativo, o seu carácter atractivo para o público. É ainda ter o cuidado de não susceptibilizar esse mesmo público, ou levá-lo a pensamentos, suspeitas ou comentários falaciosos.

O ser jornalista é ser um todo como pessoa para a profissão. O verdadeiro jornalista vive, respira e entrega-se ao que faz deixando a sua vida própria vezes sem conta de parte, num qualquer recanto do seu íntimo.

Resta-me dizer, em defesa do jornalista que este, quando profissional dedicado, vive no perigo de ter de estar em constante alerta perante tudo o que o rodeia. Ter de ter o cuidado na forma como influencia opiniões, sendo este um meio tão poderoso em termos de influência social. Transmitir a realidade sobre o seu olhar, mas sem mostrar o seu “eu” sobre a notícia é o que melhor caracteriza um bom jornalista. É este o olhar que quero mostrar. É esta a minha verdadeira definição de jornalista. A que não se pode encontrar em livros ou frases feitas. Esta, a que mostra o seu rosto. A que deixa a “nu” o jornalista como pessoa.





Sónia Mendes, 2º ano C.S

Grupo 5



Sem comentários:

Enviar um comentário