sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Uma realidade cada vez mais urgente

Fotografia de Bridget Fleming

O uso da bicicleta voltou a estar “na moda”. Devido à conjuntura económica actual (ao aumento do preço do petróleo, o aumento do preço dos bilhetes de transportes públicos, dos seguros e de toda a manutenção) o uso da bicicleta voltou a ser o veículo preferido de muitos portugueses.

Muitas das deslocações no dia-a-dia já são feitas em bicicleta. Dezenas de milhares de pessoas vão para o trabalho, escola, compras ou até mesmo, saem à noite através deste meio de transporte. Graças à construção de ciclovias e de reconstrução de muitas outras, o uso da bicicleta nota-se já não ser uma novidade ou algo de "crianças", mas uma escolha amiga do ambiente e, por isso, preferida a muitas outras.
No entanto, apesar do número de bicicletas se multiplicarem nas ruas, a construção de ciclovias, corredores mistos para autocarro/bicicleta, a sinalização e mapeamento adequados à utilização das mesmas, não são projectos prioritários na lista de objectivos dos actuais presidentes de câmaras municipais.

Para além disso, ainda existe toda uma campanha de sensibilização (para os automobilistas)
sobre as vantagens do uso de bicicleta como meio de transporte efectivo e o cuidado a ter quando se cruzam com estas pelas estradas. Programas de incentivo à redução obrigatória de velocidade em algumas zonas das cidades, bem como atenção à criação de condições de segurança são alguns dos tópicos abordados nestas campanhas.

Amesterdão, conhecida como a capital mundial das bicicletas (onde 40% do tráfego é em duas rodas); Berlim, a segunda cidade com mais população da União Europeia, onde menos de metade da população tem automóvel, e Aveiro, cidade conhecida pelo seu plano de experiências de partilha pública de velocípedes (Bugas), são exemplos que, hoje em dia, estão a começar a ser seguidos um pouco por todo o mundo.
Cabe agora a nós persuadir os nossos políticos na urgência da concretização de melhores condições para a circulação deste veículo que é cada vez mais um dos veículos escolhidos, não só pela poupança mas também pela saúde que a prática deste desporto traz.

Vanessa Mota. R2

Sem comentários:

Enviar um comentário