sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Entrevista: O bar da nossa Escola, segundo Maria Adelaide Almeida


Maria Adelaide, funcionária do Bar, da Escola Superior de Educação de Coimbra, explica-nos, neste mesmo local, como veio trabalhar para a Escola e, ainda, como têm corrido estes meses de trabalho. 

  1. POSTS DE PESCADA - Como surgiu a proposta de vir trabalhar para a empresa “Nareste”? Maria Adelaide Almeida - Estive desempregada e, nessa altura, estava a fazer um POC pelo Fundo de Desemprego num Instituto Superior. Através, deste Instituto surgiu a proposta de vir trabalhar para a Nareste e, aceitei, de imediato.

  2. POSTS DE PESCADA - Sendo que o bar da Escola Superior de Educação de Coimbra vai a concurso de dois em doi anos, pode-me explicar as fases do processo desse concurso?
    Maria Adelaide Almeida - A empresa teve conhecimento deste concurso e decidiu concorrer. O processo decorreu como o esperado. Apresentou-se a proposta e licitou-se a renda. A empresa ganhou e conseguiu contrato de um ano.
       
  3. POSTS DE PESCADA - Sentiu alguma rejeição por parte dos alunos? Maria Adelaide Almeida - Não, nenhuma. Sempre me senti bastante bem aqui na Escola e com a comunidade que a frequenta. Em momento algum, tive algum problema com alunos, professores ou funcionários.

  4. POSTS DE PESCADA - O bar sofreu duras críticas devido ao seu funcionamento. O que tem a dizer sobre isto?
    Maria Adelaide Almeida -
    Na verdade, só em Abril é que comecei a trabalhar para a Nareste e a empresa tomou posse em Março. Quando cheguei estava tudo dentro da normalidade e o funcionamento estava a decorrer como esperado. Tive conhecimento que os alunos se queixavam da falta de comida a certas horas e que assim não podiam contar com o bar da Escola para comer qualquer coisa.

  5. POSTS DE PESCADA - Como solucionaram o problema?
    Maria Adelaide Almeida - Os alunos contestavam, essencialmente, a seguinte situação: chegavam a uma certa hora ao bar e já não tinham comida, visto que as dozes encomendadas a princípio não eram certas nem concretas. Com o mês à experiência começámos a ter noção da quantidade de coisas que se vendem e o que satisfaz os alunos. Assim começámos a pedir aos fornecedores os produtos em maior quantidade de modo a que ninguém fique com fome e que toda a Escola usufrua do espaço do bar sempre que quiserem oferencedo o melhor a todos. 

  6. POSTS DE PESCADA - Qual é o balanço que faz para já?
    Maria Adelaide Almeida - Estou a adorar trabalhar na ESEC! O balanço é bastante positivo, pois gosto bastante da vertente de Relações Públicas e estando a trabalhar no bar da Escola, posso exercer, por assim dizer, um pouco desta profissão: falo com os alunos, professores e funcionários. Ajudo-os sempre que possível. Estou sempre bem-disposta e meto-me com todas as pessoas que frequentam o bar. Nunca ninguém me faltou ao respeito, assim como eu nunca faltei ao respeito a ninguém. Só posso agradecer por estar aqui e pela relação que consegui criar com todas as pessoas. Acrescento, ainda, que as melhores pessoas para fazer um balanço sobre a minha prestação são os clientes.

Sem comentários:

Enviar um comentário