sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Jogar à macaca?! Tenho um canal sobre isso!




Todos nós, de gerações recentes, sabemos o que é uma televisão. Estamos habituados a lidar com ela, marcou-nos a infância. Ainda assim, saímos à rua, fizemos amigos e brincámos com pessoas na estrada que não conhecíamos de lado nenhum.

E mesmo assim os meus irmãos mais velhos me diziam: estás tanto tempo em casa, tu não tens amigos? Vocês não vão brincar para o parque? Ou andar de bicicleta? Eu sempre respondi que sim, que passava muito tempo na rua. Eles argumentavam que não.

É verdade que a minha infância foi marcada pela TV e que, muitas vezes, não saí de casa por estar a ver um filme, ou uns desenhos animados de que eu gostasse. O próprio fenómeno "Dragon Ball Z", que fazia parar escolas e até empresas chegou a tocar um pouco a minha vida de 2° ciclo. No entanto, o que noto agora é um exagero do uso da TV por parte dos mais novos que lhes custa uma infância de descobertas e relações com amigos, próprias da idade.

A viciação é um dos grandes males da tecnologia, o que se nota e muito. Mas pode ser controlada se as pessoas se aperceberem do problema e das suas consequências. No entanto, a verdade é que num mundo em que a criminalidade e o rapto de crianças estão num nível tão elevado, a segurança é cada vez menor e os pais optam por manter os filhos em casa, na quietude dos seus lares. Contudo, nem tudo o que reluz é ouro, e este facto tem as suas contrapartidas. As crianças cada vez usam óculos mais cedo, a obesidade infantil está a tomar níveis catastróficos e as depressões em idades recentes aumentam cada vez mais.

Em lado nenhum há a certeza de que estamos totalmente seguros. Uma catástrofe acontece a qualquer momento, mas existem sítios onde há o esforço por haver segurança, e um passeiozinho pelo parque só faz bem à relação entre pais e filhos. É verdade que com a tecnologia neste ponto já existem jogos que fazem uma pessoa mover-se e exercitar o corpo, e as redes sociais permitem fazer milhares de amigos. Mas só a convivência, as brincadeiras e asneiras dão às crianças as vivências próprias da idade. Aquelas que, um dia mais tarde, lhes servirão para se tornarem adultos.

Nos dias que correm, a resposta mais provável que o Carlinhos dará à Carolina quando ela o convidar para ir jogar à macaca será: jogar à macaca?! Tenho um canal sobre isso!
E provavelmente tem razão.

Joel Domingos, R2

Sem comentários:

Enviar um comentário