sábado, 5 de novembro de 2011

Reportagem - Tradição em crise?

Todos os anos, no início do ano lectivo, Coimbra vive uma semana agitada e cheia de alegria, conhecida como Festa das Latas ou Latada. A Festa das Latas tem como objectivo dar as boas vindas aos novos estudantes, mostrando-lhes o ambiente académico da cidade.
Esta semana é profundamente marcada pela tradição. Ou, supostamente, deveria ser.

Um cortejo a transbordar de ironia mas que pouco impressionou

Durante este período, realiza-se o célebre Cortejo da Latada, em que os caloiros envergam uma fantasia com as cores da sua faculdade e os respectivos símbolos desta celebração, o penico e a chupeta.
No desfile, os novos estudantes transportam cartazes com conteúdo crítico, alusivos à vida escolar ou nacional.
No passado dia 1 de Novembro, ocorreu mais um destes momentos tão importantes na Praxe Académica Coimbrã. Os estudantes invadiram as ruas dando voz a si mesmos e a outros colegas de todo o país. Este ano, destacaram-se as sátiras, nomeadamente ao ministro da Educação, Nuno Crato, as queixas e as mensagens e acções de teor sarcástico.
No entanto, apesar de o cortejo deste ano ser uma forte alusão à crise que Portugal enfrenta e às injustiças praticadas no domínio da educação, o evento deixou muito a desejar, segundo estudantes mais velhos (doutores). Para muitos, este acontecimento parece piorar de ano para ano, sendo que certas tradições do Cortejo da Latada começam a perder-se.
«Foi muito fraco. Em comparação aos anos anteriores, não me pareceu que tivesse muita afluência tanto por parte dos alunos, como pelos espectadores familiares habituais.», declarou Salomé Brogueira, estudante da Universidade de Coimbra.
Uma das tradições que ainda se mantém, todos os anos e durante todo a semana, é o “animal de estimação” dos estudantes, o álcool. Sem este “ingrediente mágico” o desfile das Latas não seria o mesmo, o que leva a muitos exageros por parte dos seus participantes.
«Muitos estudantes, muita diversão, muito álcool.», confidenciou a estudante, residente na cidade dos estudantes há quatro anos.
Apesar de tudo, um dos grandes propósitos do Cortejo da Latada ainda se mantém: o baptismo dos novos colegas no rio Mondego, no fim do desfile pelas ruas de Coimbra.

Uma semana de cultura musical ou um desperdício de dinheiro?

Este ano a Festa das Latas decorreu de 27 de Outubro a 2 de Novembro.
Para iniciar este festejo, já na noite de 26 para 27, realizou-se a ilustre Serenata da Latada. Como já é habitual, na noite de quinta-feira, dia 27, teve lugar o sarau académico. O resto das noites foi preenchido pelos concertos no parque.
O cartaz desta vez, ao que parece, não convenceu os estudantes. Pelos vistos, nos últimos anos a qualidade deste tem vindo a diminuir, para desagrado da comunidade estudantil da cidade.
«Não o considerei chamativo.», revelou Mara Melo, estudante de Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra.
«O cartaz não era de todo apelativo. Ainda que possa ter tido alguma receptividade, uma vez que para a maioria dos caloiros este seja o momento auge da sua entrada na Universidade, na vida adulta, muitas foram as críticas aos grupos escolhidos para animar os estudantes de Coimbra.», afirmou Salomé Brogueira, «Uma aposta em tempos de crise, mas que agradou a poucos.», concluiu.
O grupo britânico Kaiser Chiefs foi a atracção que mais agradou aos estudantes, enquanto um repetitivo Quim Barreiros, presença assídua nas Latadas de Coimbra, voltou mais uma vez para animar a noite, após o cortejo.
Podemos considerar que esta festa académica coimbrã está em crise, acompanhando os passos do nosso país, com artistas que os estudantes não querem realmente ver e a preços exagerados.
«As escolhas não foram as melhores. Está na altura de apostar em bandas portuguesas, mais em conta e que agradem mais aos estudantes.», revelou Salomé Brogueira.
«A crise reflecte-se em tudo. No que toca à Latada, limita as bandas/cantores que actuam.», afirmou Mara Melo, «Reflecte-se ainda no preço dos bilhetes pontuais que considero serem muito pouco acessíveis à comunidade estudantil. Não inflacionaram os bilhetes gerais, mas considero que o preço dos pontuais foi exagerado.», concluiu.

Uma tradição em decadência

Com o passar dos anos, a Festa das Latas tem vindo a afastar-se dos seus objectivos e tradições.
O que antes era um ritual de iniciação para o jovem caloiro na vida académica, agora é sinónimo de festas e bebedeiras durante uma semana inteira.
«Nota-se que, com o avançar das gerações, os jovens parecem dar menos valor à academia. Cada vez dão menos valor às tradições, às regras praxistas, ao espírito académico. No entanto, espera-se que alguns alunos dêem o devido valor a Coimbra e que não deixem esmorecer o espírito da academia Coimbrã.», terminou Salomé Brogueira.

Agora devemos tentar perceber qual é, hoje, o verdadeiro significado da Festa das Latas.


Por Filipa Lopes
Redacção 1

Sem comentários:

Enviar um comentário