domingo, 18 de dezembro de 2011

Tema: Artes


Reportagem: Viver a arte

   O ensino de artes tornou-se indispensável na educação dos nossos jovens. Actualmente, vemos que, cada vez mais, os pais optam por incutir a veia artística nos seus filhos mais cedo, seja na área da música, pintura, dança, ou outra. É uma forma de abstracção e um meio de dar expressão aos sentimentos mais subjectivos de uma pessoa. O que se tem verificado, ultimamente, é o facto de os jovens começarem a olhar para as artes como uma opção profissional, algo do qual querem viver para. Surgem cada vez mais escolas especializadas no ensino das artes, tanto no ensino secundário como no superior, e estas têm tido grande adesão na comunidade juvenil (e não só).
   Rafael Gomes é estudante de música, frequentando o 12º ano do curso de instrumentista de sopro, no ensino secundário. Este revela que o gosto pela música não foi o único motivo que o levou a ingressar esta área, mas também “o facto de haver muitas saídas profissionais”. Além disso, refere ainda que “a percentagem de desempregados na área da música é mínima”. O jovem músico salienta, também, a importância da música na vida das pessoas. “É um ensino especial, pois com ela (música) podemos exprimir sentimentos e emoções”, refere.
   Tal como vários psicólogos, Rafael Gomes, concorda que o ensino da arte é uma educação de sensibilidade. Isto não significa que apenas os artistas têm a característica da sensibilidade em relação às coisas. Mas que a arte lhes dá a possibilidade de expressar os seus sentimentos mais íntimos de uma forma diferente, atingindo as outras pessoas.
   Existem cada vez mais jovens a optar pelo percurso artístico ao invés de seguir um percurso científico/humanístico, ou tecnológico. O estudante de música pensa que este facto se justifica, talvez, pela evolução do ensino no campo artístico, tanto a nível de condições, como de competências, das escolas e professores. Estes factores “ajudam ao aumento do interesse dos jovens pela área”, diz-nos Rafael Gomes.
   A arte é, sem dúvida, uma forma de nos desligarmos da pressão e problemas que enfrentamos ao longo do nosso dia-a-dia, seja ela de qualquer tipo. Mas, para os jovens que a têm como futura profissão será ela que lhes trará os problemas que qualquer tipo de profissão provoca. No entanto, como é algo com o qual não conseguem viver, e acabam por transformar numa paixão, não irão vê-la nesse sentido.
   A escolha de um ensino no campo das artes tem vindo a aumentar em Portugal. De acordo com as escolas e os professores “estudar artes melhora o desempenho dos alunos”. Reforçam a afirmação dizendo que “o estudo de qualquer tipo de arte eleva as notas em geral, o que constitui uma vantagem”. Os números de colocados em cursos especializados em música, dança, pintura, teatro, mostram a preferência dos jovens que vêem nas artes uma forma de conciliar a sua vida profissional com uma paixão sem a qual poderiam viver.

Amanda Costa, R2

Sem comentários:

Enviar um comentário