segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Do Cartoon ao Amor

Tentou ser como a Grace Kelly ou como o Freddie Mercury, mas passada a crise de identidade Mika revela-se ao mundo com um espírito jovem e um estilo musical inovador. O certo é que ninguém ficou indiferente ao rapaz franzino, de cabelo encaracolado e falsete afinado que, em 2007, após lançar o seu primeiro álbum de originais Life in Cartoon Motion, ganhou o prémio Best-Selling New Artist, nos World Music Awards.
A fama poder-lhe-ia ter subido à cabeça, porém, este manteve-se relaxado e pouco assustado pois, para ele, não havia nada que não se pudesse fazer, e prova disso é o mundo ficcional que este criou em torno da sua persona musical.
 https://www.facebook.com/mikasounds
Este artista britânico fala sobre a vida e sobre a morte, abordando temas sensíveis, como a homossexualidade, a obesidade e a velhice. As histórias nem sempre têm um final feliz, porém, este tenta contá-las como fossem contos de fadas, pois é essa a sua interpretação, a sua maneira de tornar o mundo mais belo.
Não deixado que as estrelas o derrubassem e que as ondas o afogassem, Mika continuou a olhar a vida pela perspectiva de uma eterna criança. O problema foi que essa criança ficou a saber demasiado (The Boy Who Knew Too Much, 2009), o que modificou a sua maneira de ver o mundo.
Mas ser comum não era uma opção. Neste segundo álbum utilizou uma perspectiva mais ao estilo de Tim Burton, tentava procurar a alegria num lugar estranho, ao género de um típico adolescente. Continuava sem se importar com o que pensam dele, pois não estava à procura dos seus quinze minutos de fama, como a música We Are Golden representa. Porém, como acontece a todos os adolescentes, este isolou-se no “armário”, deixando-nos sem esperança que regressasse tão cedo com um álbum de originais.
https://www.facebook.com/mikasounds
A espera foi longa, mas, felizmente, esta não é a história mais triste que alguma vez contarei, logo todos podem festejar. Em 2012, Mika regressou com uma imagem mais madura, já sem os caracóis rebeldes e o corpo franzino. Agora adulto, The Origin Of Love é o agora ou nunca, pois a criança finalmente cresceu. Pondo de parte os contos infantis, o cantor britânico preocupa-se em descobrir o que é o amor. Será uma droga? Um chocolate? Um cigarro? Porém este continua a se espantar com tudo o que vê à sua volta.
Alguns idolatram-no, outros detestam-no, mas o certo é que ninguém conhece Mika de verdade (e ninguém lhe fica indiferente). O que ainda está escondido no imaginário deste artista? Só saberemos no próximo álbum. Até lá só espero que este verso de uma das suas músicas não se concretize: “Live your life until love is found 'Cause love's gonna get you down”.

* ”Vive a tua vida até encontrares o amor, pois ele vai-te derrubar”
 
por: Joana Amado
 
*Este artigo não está escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Sem comentários:

Enviar um comentário