quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Vercauteren será a cura do Sporting?



A partir da época 2008/2009 não se vê o Sporting na luta pelo título nacional. O mal, que parecia estar em Paulo Bento, pelos vistos não estava. Desde então que o clube de Alvalade não acerta no caminho do título.

Muitos foram os treinadores que assumiram as rédeas da equipa: Carlos Carvalhal, Paulo Sérgio, José Couceiro, Domingos Paciência, Sá Pinto, Oceano e mais recentemente, François Vercauteren.

Vercauteren não tem uma tarefa fácil em mãos. O Sporting perdeu até agora 17 pontos na Liga, foi eliminado da Taça de Portugal (pelo Moreirense) e está em último lugar do Grupo G da Liga Europa (1 ponto em 9 possíveis). Tudo isto são pressões para o novo treinador de Alvalade, mas não é só: o futuro do presidente dos leões, Godinho Lopes, está também dependente do desempenho do novo treinador.

Os resultados desportivos são essenciais para a manutenção do presidente leonino até porque não há mais ninguém a quem “culpar”. Treinadores, jogadores, dirigentes, directores-desportivos, administradores, todos já foram chamados ao “banco de réus” de Alvalade, menos Godinho Lopes.

Os adeptos já se cansaram. Em ano e meio foram três treinadores, os mesmos maus resultados e as mesmas promessas. Este ano querem mais. Querem o Sporting nos lugares de topo que costumava ocupar. Querem que o clube volte a assumir um posto nos “três grandes” do futebol português (porque quer queiram ou não admitir, o Sporting de Braga tem assumido esse papel) e querem a dignidade que foram perdendo nestes últimos anos. Mas será que há razões para acreditar que o Sporting irá terminar o campeonato num dos três primeiros lugares?

Sem falar no F.C.Porto ou no S.L.Benfica, o grande obstáculo dos leões é o Sporting de Braga. Ao contrário do que tem vindo a acontecer com o Sporting, o Braga tem vindo a ganhar estatuto no futebol português e tem vindo a ocupar o lugar que seria do clube de Alvalade. Os leões entrarem num dos primeiros três lugares implicaria destronar o Sp.Braga que está mais forte.

Podemos falar na motivação que o novo treinador, Vercauteren, pode trazer à equipa, mas não podemos cair em falsas expectativas de um deslize tão grande dos bracarenses. Podemos falar no custo financeiro que implicará o Sporting não estar no pódio da Liga, mas, novamente, será a equipa capaz de recuperar os 10 pontos que o Braga já leva de vantagem e manter-se depois na linha da frente? Podemos ainda refutar que estamos na 8ªjornada e ainda falta muito campeonato pela frente, mas será Vercauteren capaz de dar uma reviravolta assim tão grande no Sporting?

São perguntas que só o decorrer do campeonato o responderá. Para bem do Sporting e do futebol português é bom que este seja o ponto de viragem que o clube tanto precisa. Já chega de perder, já chega de ser a chacota dos adeptos adversários. De uma adepta rival fica a esperança de que este seja o fim de um ciclo negativo e que o Sporting volte ao topo da tabela, lugar de onde nunca devia ter saído.

 

por: Ana Ferreira


*Este artigo não esta redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

4 comentários:

  1. Boa noite
    Antes de mais gostava de felicitar todos por este belo trabalho, que venho a acompanhar há algum tempo com todo o gosto, esta é a primeira vez que venho falar porque acho pertinente falar sobre este post. Desde já saliento que não sou grande adepto de futebol e muito menos sinto alguma simpatia por algum clube, a não ser da AAC e da nossa seleção.
    Não posso deixar de notar logo no início deste artigo que há uma grande imparcialidade jornalista na sua construção. E da maneira como a autora aborda o assunto, com um certo “gozo” na situação. Ora dá logo para perceber que está a dar a sua opinião neste artigo, o que no jornalismo como sabem não é muito indicado isso acontecer, a não ser que não seja um artigo mas sim uma crónica, aí muda tudo! Mas além disso dá a perceber ao leitor a precessão que está autora além de não ser adepta do clube em questão também não morre de amores por este. Um adepto desse clube que leia este artigo ficara francamente indignado, e diga-se de passagem com razão. Não devia falar com tanta arrogância num artigo, como acontece neste caso, cai muito mal ao leitor.
    A Ana deverá ter mais atenção antes de fazer um artigo como este num futuro próximo, se quer crescer a nível jornalístico e chegar a algum lado, porque um artigo assim é digno do calinas. Se a Ana quer chegar a algum lado tem de deixar essa “arrogância” com que fala de lado, se não nunca será uma grande jornalista e não irá longe. Estou a dizer isto e poderá nem querer envergar esse caminho, mas se quiser continuar e ir mais além tem de mudar, ou não vai longe na vida jornalística. Só vim mesmo falar sobre este artigo porque, não querendo ofender ninguém, comparado com os outros artigos, diga-se de passagem muito bons, este é um pouco “medíocre” para não dizer fraco, além de uma certa maneira fazer “pouco” (para não dizer gozar) com os adeptos deste clube, acredito que a Ana não ia gostar de ler uma coisa do deste gênero sobre o seu clube com tanta imparcialidade, ou iria?
    Espero que encarem isto como uma “crítica construtiva” e não como destrutiva, você todos são futuros novos valores na comunicação social e é sempre bom contar com bons jornalistas, mas você Ana ainda terá de crescer muito a este nível se quiser ser uma jornalista bestial, porque caso contrário será como tantos outros um(a) jornalista banal. Desse essa “arrogância” com que escreve de lado Ana e irá longe! Espero que leia este “comentário”. Felicidade a todos e uma boa continuação a este belíssimo trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde já, boas a todos os leitores deste blog!

      Caríssimo Jaíme, cada um tem direito à sua opinião e há que respeitar isso. Deixe-me dizer que não vejo qualquer "gozo" ou "arrogância" neste artigo como está a dizer, até pelo contrário - é de louvar que uma "adepta rival" manifeste o apoio pelo clube visado neste artigo tal como o fez.
      Mais lhe digo que um artigo de opinião (e cito) "é um texto em que o autor expõe o seu posicionamento diante de algum tema actual e de interesse de muitos", o que me parece ser o caso uma vez que tem estado presente em todos os jornais nos últimos tempos.
      Acho muito bem que dê a sua opinião relativamente a artigos que se encontrem neste blog e que faça críticas construtivas (penso que isso só ajuda os autores e que eles só têm a agradecer), mas, com todo o respeito, não podia deixar de manifestar a minha opinião relativamente ao seu comentário uma vez que me pareceu que podia ter moderado um pouco a sua opinião.

      À autora do artigo: vejamos se hoje o Sporting consegue remediar a situação na Liga Europa e se Vercauteren será mesmo a "cura" como referiu. Os meus parabéns pela pertinência do artigo e votos de um bom trabalho não só a si como aos restantes autores deste blog!

      Eliminar
  2. Bom dia colegas e desconhecidos do Posts.

    O meu tempo de fundador e colaborador desta página já passou mas não é por isso que descuro o trabalho dos meus amigos, colegas e desconhecidos. Muito menos os comentários a esses.

    Dirijo-me directamente, e digo directamente para não haver segundas interpretações, a Jaime Pedroso, especificamente pelo comentário ao trabalho "que está autora" fez.

    Felizmente a interpretação que fez ao texto está correcta, mas infelizmente falhou redondamente ao analisar o trabalho "que está autora" fez. A Ana fez um artigo de opinião, uma análise ao momento menos bom do Sporting, e quem está por dentro do jornalismo e por dentro do trabalho feito nesta página sabe distinguir os diferentes tipos de artigos que a compõem.

    "Está autora" pode ter falhado em não ter caracterizado este trabalho como artigo de opinião, mas em todo o resto não há nada a apontar. Muito menos para descrever o trabalho da Ana Ferreira como "arrogante" e "medíocre" - isso caro Jaime, tem tudo menos de construtivo.

    Falando até no futebol em geral, como trata o artigo, o seu comentário fez lembrar a relação de amor/ódio entre os adeptos do Benfica com o Cardozo. O Rapaz pode entrar aos 45 minutos, marcar os dois golos da vitória e falhar um penalty, que 90% dos adeptos só se vão lembrar da defesa do guarda-redes ao remate de 11 metros. E esses 90% dos adeptos benfiquistas "traduzem" 95% dos portugueses em geral: só vêm o que está mal (o que aqui nem se aplica porque o seu ponto de vista está correcto, a abordagem é que não), e esquecem-se do que é muito bem feito.

    Para criticarmos "construtivamente" temos de saber construir, saber de que alicerces têm de ser tratados e não com duas pedras na mão.

    Como profundo admirador do trabalho da Ana, que de medíocre não tem nada - porque sei do que falo, porque o conheço-, tinha de reflectir e expressar a minha opinião sobre o seu comentário (sim, isto é uma opinião, não vá o diabo tecê-las).

    E acredite, como a Ana está, ela vai longe. Muito longe.

    Melhores Cumprimentos,
    Marcelo Chagas

    ResponderEliminar