terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Crónica: A arte das ruas

A arte sempre foi o conceito complicado de definir. Desde os vanguardistas por serem demasiado inovadores até ao dadaísmo por serem demasiado absurdos. Os artistas parecem sempre ser avaliados pejorativamente por alguém. Parece-me que têm vindo a acontecer o mesmo com os chamados artistas urbanos.


Já é recorrente observarmos pelas ruas de muitas cidades autênticas obras de artes pintadas a spray durante a noite. No entanto também existe muitas vezes a arte de rabiscar insultos e nick-names pelas paredes. A questão que nos suscita é se a última é arte ou mero vandalismo. A resposta dependerá certamente de quem for responder. Para os dadás um simples urinol era uma obra de arte. De que difere um urinol de um insulto? Bem, mas não responderei a essa questão. Até porque existem outras artes nas ruas do mundo. Desde as famosas battles de breackdance ao som de beat-boxes humanos até as famosas flash mobs. Pois bem, arte urbana é simplesmente o acto de alguém… ou alguma coisa se exprimir-se artisticamente em espaço público.

Não estranharei se um dia ver alguém a tomar café sentado no chão e chamar-lhe arte, pois é esse o intuito da arte urbana, fazer arte na rua.

Grupo 4:
Tony Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário