sábado, 12 de novembro de 2011

Artigo de opinião: O jornal da gente de Penela



Por Maria Inês Antunes, R2

Penela é uma vila a cerca de 30 quilómetros da cidade de Coimbra. É uma vila que tem as coisas básicas de sobrevivência, algumas lojinhas e muito espaço para ocupar. Todos os dias chegam às papelarias os jornais e só não é informado quem não não quer. Mas Penela e o seu concelho têm uma particularidade: para além dos jornais e revistas que chegam a todo o país, este concelho tem o seu próprio jornal, “Região do Castelo”. É exactamente por aí que eu quero pegar.
“Região do Castelo” é com toda a certeza o jornal mais lido neste concelho. Devo arriscar que ultrapassa até qualquer jornal desportivo que se encontra nas mesas de todos os cafés. Mais do que as notícias sobre o orçamento de estado, a crise ou qualquer outro assunto que afecte o país e o mundo dos quais todos estamos saturados de ouvir falar, a gente de Penela está mais interessada em saber o que se passa na sua terra. Nada que fuja à regra e, sendo Penela um meio tão pequeno e de onde as pessoas mais jovens começam a desertar para seguir o seu caminho com outros interesses, os interesses do concelho são o que mais interessa para a velha guarda que fica.
Um concelho que tem o seu próprio jornal com uma foto da semana de qualquer coisa engraçada, promoção de eventos, secção de opinião e com o mais variado tipo e notícias é muito bom. Ainda mais gratificante é a existência de uma equipa que teve como principal objectivo criar um jornal para que a sua terra não ficasse esquecida e para que chegasse a toda a gente tudo o que passa no concelho, principalmente aos que mais andam desligados da sua localidade.
Contudo, há um reverso da medalha quando se puxa ao profissionalismo da coisa. Começando pela primeira página reparamos que não tem a melhor organização visual nem contextual dos artigos que vamos encontrar com o desfolhar das páginas. Virando mais umas quantas páginas, vejo as diversas secções: Actualidade, Educação, Distrito, Região, Cultura, Opinião, Utilidades, Desporto e Última. Algumas entrevistas, mais algumas notícias, uma ou outra reportagem e muitos artigos de opinião.
Estudo Comunicação Social há dois anos mas penso que posso humildemente dizer que o que aprendi até agora me faz reconhecer muito pouco rigor jornalístico na maioria dos artigos que são publicados na “Região do Castelo”. A má coerência entre os artigos das diferentes secções, o caos visual com que me deparo ao passar a grande maioria das páginas, os títulos com muitas reticências e com pouco interesse, o pouco rigor das fotografias (tanto dos artigos como dos seus colaboradores) ou a constante falta de leads nos artigos, deixam muito a desejar neste jornal regional. No fundo, tudo isto é normal visto que os colaboradores do jornal não pertencem à área da comunicação e informação.
Certo é que, bem ou mal, todos os assuntos do concelho são tratados e dados a conhecer portanto, deve ser valorizada a equipa de colaboradores que se esforça por publicar quinzenalmente o que interessa aos penelenses. Elegância e rigor no jornal talvez se vão adquirindo com a experiência de quem para ele colabora. A Região do Castelo, por mais boas intenções que tenha, é mais uma prova de que não é por se saber escrever ou falar com boa fluência, que se é jornalista. 

Sem comentários:

Enviar um comentário