sábado, 8 de dezembro de 2012

Este País Não É Para Pobres



Há cerca de duas semanas, o WarezTuga - site que aloja e permite a visualização de uma grande quantidade de filmes e séries - anunciou que ia encerrar devido a uma queixa por parte da ACAPOR. Em causa estava a pirataria feita pelo WarezTuga, que levou a que, teoricamente, houvesse mais espectadores no seu site de streaming do que nas salas de cinema nacionais, facto que, por sua vez, originava uma quebra significativa da receita nas bilheteiras.

Quis-me parecer que esta manobra não passou de uma estratégia de apresentação de um novo filme. Tal como os irmãos Coen apresentaram em 2007 o seu maior sucesso Este País Não É Para Velhos, o WarezTuga, com a ajuda da ACAPOR, adaptou o título à actualidade nacional e o resultado não poderia ter sido mais… realista!

Estando minimamente por dentro do assunto, eis uma pequena sinopse deste novo drama: num país assolado pela crise, onde os combustíveis atingem valores abusivos e um bilhete de cinema custa cerca de seis euros, ver filmes na Internet parece ser a melhor solução para os amantes da sétima arte. Um site destaca-se mas a sua popularidade e os seus bons resultados enfrentam a oposição de uma associação que tenta pôr fim à sua existência. Será o seu encerramento a melhor solução? Ou agravará a situação de crise e provocará a ira daqueles que visitam regularmente o site?

Este País Não É Para Pobres, um “filme” que apenas esteve em exibição durante cinco dias. Das duas, uma: ou foi um autêntico flop cinematográfico ou a história, baseada em factos verídicos, susceptibilizou tanto a população que se achou por bem retornar tudo à normalidade. Por outras palavras, o WarezTuga voltou ao seu habitual funcionamento e as salas de cinema a ter mais baldes de pipocas do que espectadores. 

por: Diogo Carvalho


*Este artigo não está escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Sem comentários:

Enviar um comentário